A parte mais difícil no planeamento de viagens de verão, é sempre a questão essencial:
o que devo levar na bagagem?
Não queremos ir sobrecarregados com peças que depois não iremos usar, mas também não queremos que nos falte aquele look especial para estar confiante e cheio de estilo.

Achamos que o conceito de “armário cápsula” pode ser a chave para este dilema.
Reunimos aqui as melhores dicas, para que nunca nos falte nada de essencial.

  Tenha em mente o clima e o tipo de atividades planeadas.

Existem diferenças significativas entre ir para um clima tropical ou para o centro da Europa, e essas diferenças devem ser tidas em conta na hora de organizar a sua bagagem.
Se o destino for os trópicos, é importante incluir uns biquínis e vestidos de verão extra, enquanto se for para o centro da europa, não é de descurar um básico de malha e uns ténis sobresselentes. Adequar a bagagem conforme o destino é a chave para não perder tempo (nem dinheiro), a comprar artigos de que se esqueceu e que provavelmente não voltará a utilizar.

  Escolher qualidade em vez de quantidade.

A qualidade dos tecidos tem um grande impacto no momento de desembalar a sua mala de viagem. Tecidos de menor qualidade têm maior tendência para ficar amarrotados ou de precisar de uma maior quantidade de acessórios para compor o seu look.
Apostar em peças intemporais de boa qualidade, que a deixam sempre confortável e com a certeza de que estará no seu melhor, fará toda a diferença na certeza de umas férias bem passadas.

   Decida por uma palete de cor.

O nosso guarda-roupa é composto por diferentes tons e opções. Quando for viajar, pense na temática do país que irá visitar e aposte nesse segmento: tropical, naútico, florais, animal print, tons quentes, tons mais pastel.
Tomar esta decisão previamente fará com que consiga depois conjugar praticamente todas as peças umas com as outras, ficando com um maior leque de opções.

  Os básicos.

Independentemente do tema escolhido, inclua básicos: uma boa t-shirt branca, uns calções denim, umas sabrinas elegantes e claro, um vestido preto.
Com estas peças conseguirá passar de um look informal para um mais composto (e vice-versa) em segundos. Versatilidade é sinónimo de segurança!

  Sapatos: 3 é a conta certa.

Missão impossível, bem sabemos, mas tenha em mente o peso e o espaço que os sapatos ocupam na sua bagagem. E na verdade, não precisa mesmo de levar um par de cada cor, para cada outfit.
Defina umas sandálias elegantes (e confortáveis QB) para as elevar um outfit base, uns ténis para caminhadas e/ou para dançar pela noite dentro, e uns chinelos versáteis que possa utilizar na praia e/ou piscina.
Como extra, considere as sabrinas de que falámos no ponto anterior. Não falha!

  Os acessórios.

Os acessórios a levar devem ser aqueles que consideramos mesmo essenciais, quer pela sua função, quer pela forma como definem revelam a nossa personalidade. Apostamos na fórmula: 1 chapéu, 1 lenço, 1 cinto, 1 carteira versátil, 1 saco de praia.
A ideia-base é permitir que os acessórios escolhidos possam ser utilizados de diferentes formas: um lenço poderá servir para um “up” no seu look, mas também para visitar igrejas/monumentos e/ou para se proteger do ar condicionado dos aviões e aeroportos, e o saco de praia poderá utilizar no regresso para trazer aqueles souvenirs de que não abdicamos.
Não se esqueça obviamente daquele colar statement e/ou dos seus brincos preferidos, mas opte pelo minimalismo e deixe os objetos mais valiosos seguros em casa.