Partilhamos neste mês consigo, o sucesso de algumas das extraordinárias mulheres que dedicam a sua vida à escrita e à música. Que colocam os seus dons ao serviço do mundo, do nosso mundo, através da Arte.
Conheça-as na livraria Almedina e na loja Fnac Connect.


Livraria Almedina

Desafiamos-lhe a entrar na livraria Almedina e a trazer um livro de uma escritora portuguesa que ainda não conheça. Não imagina a surpresa que pode vir a ter.
Para facilitar este desafio, deixamos aqui 5 sugestões de escritoras portuguesas contemporâneas, que irão surpreendê-lo e transportá-lo para outros mundos.

Amanhece na Cidade, de Filipa Fonseca Silva


Sinopse: Nas ruas de Lisboa, um táxi circula e observa. E, com ele, nós observamos também: Manuel, o taxista que não sabe chorar. Olinda, a ama de duas crianças mal-educadas. Daisy, a stripper. João, o sem-abrigo.

Paisagem com Mulher e Mar ao Fundo, de Teolinda Gersão


Sinopse: Portugal. O ultramar. Um retrato de Salazar e do país durante a ditadura. Uma mulher, mãe, que perde um filho na guerra colonial, a mais injusta e absurda de todas as guerras. A sua voz é a de todos os que, durante mais de quatro décadas, foram silenciados pelo poder do opressor.

Como se o Mundo Existisse, de Ana Teresa Pereira


Sinopse: Livro que reúne numa primeira parte vários contos da autora e na segunda parte integra ensaios breves sobre obras de diferentes autores.

Estranheza, de Maria Teresa Horta


Sinopse: “De súbito Dürer… a asa que pintaste há séculos ganha voo com a sua dúctil e indócil beleza com a sua estranheza.”

Os meus sentimentos, de Dulce Maria Cardoso

Sinopse: É uma noite de temporal. A noite do acidente. Há uma gota de água suspensa num estilhaço de vidro que teima em não cair. Há um instante que se eterniza. Refletida na gota, Violeta mergulha nessa eternidade e recorda aquele que pode ter sido o último dia da sua vida.


Fnac Connect

Irá descobrir todo um universo de música portuguesa cantada no feminino, na loja Fnac Connect.
Desde o pop, ao fado, passando também pelo hip-hop e pelo jazz, as sugestões que lhe trazemos são, independentemente da sua preferência musical, garantia de boa música nas vozes inconfundíveis de mulheres portuguesas.

Confessions, de Aurea

“Contar um segredo através de uma canção.” Em “CONFESSIONS”, o quarto registo de originais de AUREA, a cantora, intérprete e também compositora, quis registar em áudio algumas das histórias ou ‘segredos’ que lhe foram confidenciando em vários momentos da sua vida. Neste novo trabalho, AUREA assume uma mudança de estética sonora relativamente aos trabalhos anteriores, visível desde o primeiro tema que abre o álbum.

Cartas, de Bárbara Bandeira

Com apenas 17 anos, Bárbara Bandeira editou recentemente este EP que tem estado nos primeiros lugares do Top Nacional de Vendas. Atualmente é o CD mais vendido em Portugal.

Bárbara, de Bárbara Tinoco

O primeiro álbum de Bárbara Tinoco que dá pelo nome de Bárbara, inclui 12 originais dos quais 4 já tinham sido editadas oficialmente com enorme sucesso entre o público: Antes D’ela Dizer Que Sim, Outras Línguas, Sei Lá e Fugir de Ser.

Maria, de Carminho

Carminho é considerada uma das maiores intérpretes da história da nossa música e está de regresso com um novo disco de originais. “Maria” é o título que Carminho escolheu para o seu novo álbum, o quinto da sua carreira e o mais pessoal de sempre. Um álbum em que participou activamente na sua produção e onde inclui várias canções de sua autoria.

Sereia Louca, de Capicua

Capicua tem disco novo. Um disco que nasceu porque há sereias que gostam de sapatos, um disco que fala das mulheres, da água, da morte e dessa coisa complicada que é o passar do tempo e da idade.